É Melhor Prevenir do que Remediar

“Samuel, porém, respondeu: "Acaso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e em sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? A obediência é melhor do que o sacrifício, e a submissão é melhor do que a gordura de carneiros” (1 Samuel 15:22).

A palavra prevenir significa “dispor com antecipação (algo) de modo a que se evite o mal, informar com antecedência (alguém de algum perigo)”. Já a palavra remediar tem o mesmo sentido que “dar remédio, tornar mais suportável, ou aceitável, atenuar (pena), diminuir algum desconforto”.

 

Prevenir é obedecer

Saul havia recebido uma clara direção de Deus por intermédio do profeta Samuel, não havia dúvidas do que e como ele deveria se comportar e executar a mando do Senhor. Todas as direções estavam claras e foram entregues de maneira que ele tivesse fácil compreensão.

Inicialmente a tarefa foi bem executada, mas posteriormente Saul se deixou ser vencido pela sua vontade, não observando de acordo com a prudência que deveria, em outras palavras, ele não foi obediente.

“Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti” (Salmo 119:11). “Para mim vale mais a lei que decretaste do que milhares de peças de prata e ouro” (Salmo 119:72).

 

Fidelidade à palavra

Não é difícil sermos questionados, sobre como se deve agir em determinadas situações do cotidiano. Assuntos como: casamento, perdão, finanças, trabalho e questionamentos sobre doutrina na igreja são sempre trazidos à tona.

O relativismo que toma conta das mentes por intermédio da TV e internet, não permite mais que as pessoas invistam tempo na meditação pura e simples da palavra de Deus. Assim, é impedida a ação direta do Espírito Santo, que é aquele que ensina as verdades ali expressas.

Vemos pessoas até estudando a palavra, o que é bom e tem seu valor e lugar, mas conhecimento sem vivencia não terá um peso eterno. Saber o que fazer, mas não fazer não resolve e não salva.

“Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei e de meditar nelas de dia e de noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então os seus caminhos prosperarão e você será bem-sucedido. Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar" (Josué 1:8,9).

 

As consequências do pecado

Facilmente somos induzidos a permitir que nossa alma, ou nossa carne e vontade governe. “Não é bem assim”, “não precisa ser tão legalista”, não seja tão devoto assim”, “podemos fazer de uma outra maneira mais fácil”, etc. É o “jeitinho braseiro”, ou qualquer outro que se possa existir. Por isso o evangelho deve sim confrontar toda e qualquer cultura. Ou temos a cultura do céu em nós, ou do contrário a do mundo (mundana).

Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria. Assim como você rejeitou a palavra do Senhor, ele o rejeitou como rei” (1 Samuel 15:23). E Samuel lhe disse: "O Senhor rasgou de você, hoje, o reino de Israel, e o entregou a alguém que é melhor que você (1 Samuel 15:28).

 

A fé deve ser acompanhada de obediência

“Digo-lhes a verdade: Aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que estas, porque eu estou indo para o Pai. E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no Filho. O que vocês pedirem em meu nome, eu farei".
"Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos” (João 14:12-15).

 

Conclusão

Saul recebeu uma missão diretamente de Deus, agiu com INFIDELIDADE e não cumpriu o que lhe havia sido passado. Ele colheu as consequências duras do seu plantio, assim como Esaú (Hebreus 12:16-17), que não deu valor a sua primogenitura e herança, não achando lugar de arrependimento.

Hoje é dia de uma tomada de decisão, romper com todo nível de infidelidade e dar início a um novo tempo!

 

 

Baixe a
apresentação