A eternidade não é um escolha

“Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez” (Eclesiastes 3:11).

Quando Deus criou Adão do pó da terra, Ele soprou em suas narinas o fôlego de vida e o homem se tornou um ser vivente. O plano era que o homem vivesse eternamente com Deus e por isso Deus soprou sua essência eterna sobre ele. Com isso Deus plantou a eternidade em nosso coração, assim ansiamos pela imortalidade.  O Deus que é eterno nos fez à sua imagem e semelhança.

Nossa vida é como a ponta de um iceberg que tem apenas um décimo do seu tamanho visto acima da água. A eternidade nem se compara aos aproximados cem anos que viveremos na terra, isso se Cristo não voltar antes. É como se fosse o vestibular para eternidade, um preparatório para a próxima realidade.

Um dia daremos o último suspiro e será o fim do nosso corpo terreno. Porém, ele é apenas uma habitação temporária para nosso espírito, mas a bíblia nos promete uma casa eterna no céu. “Sabemos que, se for destruída a temporária habitação terrena em que vivemos, temos da parte de Deus um edifício, uma casa eterna no céu, não construída por mãos humanas” (2 Coríntios 5:1).

Nossa vida terrena nos permite muitas escolhas, mas a eterna apenas duas: céu ou inferno. Nosso relacionamento com Deus na terra determinará nosso relacionamento com Deus na eternidade. Se aprendermos a amar, obedecer e confiar em Jesus, passaremos o resto da eternidade junto dEle, mas se desprezarmos seu perdão e salvação, passaremos a eternidade sem Ele. Cabe a nós decidirmos fazer a vontade de Deus ou a nossa, mas aquele que decidir viver sua vida sem Ele aqui na terra, também passará a eternidade sem Deus.

Precisamos perceber que a vida é muito mais do que o nosso dia a dia, ela é uma preparação para eternidade. Quando percebemos isso, nossa maneira de viver os relacionamentos e afazeres tomam outro rumo e são guiados pelos valores eternos. Quanto mais perto de Deus estamos, mais irrelevantes se tornam os problemas dessa vida, passamos a nos importar mais com quem somos e nossos relacionamentos do que com nossa reputação e coisas materiais.

Se não existisse eternidade, eu diria para você fazer o que quiser, aproveitar a sua maneira, sem certo ou errado. Mas não é assim, tudo o que fazemos na terra tem consequências e será julgado por Deus. “Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mau" (Eclesiastes 12:14).

Temos que pensar mais sobre a nossa eternidade, e não menos. Normalmente só pensamos no assunto em velórios ou no leito de hospital. Não é saudável ignorar esse fato pois todos sabemos que passaremos por isso.

Todos os que têm um relacionamento com Jesus não precisam temer a morte, será apenas o último momento na terra e ao mesmo tempo o nascimento para eternidade. “Portanto ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles” (Hebreus 7:25). 

Existe uma crônica que nos ajuda a compreender um pouco sobre o assunto:

 

No ventre de uma mulher grávida dois gêmeos conversam:

— Você acredita em vida após o parto?

— Claro! Há de haver algo após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.

— Bobagem, não há vida após o nascimento. Afinal como seria essa vida?

— Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a nossa boca.

— Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Além disso, andar não faz sentido pois o cordão umbilical é muito curto.

— Sinto que há algo mais. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.

— Mas ninguém nunca voltou de lá. O parto apenas encerra a vida. E afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.

— Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.

— Mamãe? Você acredita em mamãe? Se ela existe, onde ela está?

— Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela não existiríamos.

— Eu não acredito! Nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que ela não existe.

— Bem, mas às vezes quando estamos em silêncio, posso ouvi-la cantando, ou senti-la afagando nosso mundo. Eu penso que após o parto, a vida real nos espera; e, no momento, estamos nos preparando para ela.

(Autor desconhecido)

 

Nossa vida na terra é apenas um sopro ou piscar de olhos comparado a eternidade, mas mesmo assim o que fazemos com ela define nosso próximo destino. Por isso devemos viver cada dia como se fosse o último, entendendo que o fim aqui é o início eterno em outro lugar. Por isso, qual é hoje a única coisa que deveríamos parar de fazer e a única coisa que deveríamos começar a fazer?

 


Assista o culto completo

https://www.youtube.com/watch?v=pl8Wli6xV5w

Baixe a
apresentação