Agradecidos Sempre, Conformados Nunca!

(Josué 3:1-7, 13)

 

Israel estava vivendo um período de transição. A palavra "transição" pode ser definida como "a ação e o efeito de passar de um estado para outro diferente"; "é uma espécie de etapa não permanente entre dois estados". 

Transição tem sempre a ver com uma decisão de mudança. Pessoas acomodadas, que não se lançam a novas experiências, não passam por isso. É só para ousados, determinados, corajosos. A Bíblia diz: "Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder…" (II Timóteo 1:7). Portanto, quanto mais cheios do Espírito, mais determinados e propensos nos tornamos a viver novas experiências com Deus.

O rio Jordão era um limite de territórios. Ele pode bem representar as limitações dentro de nós mesmos, as muralhas da alma. Se quisermos novas experiências com Deus, devemos estar dispostos a romper os limites que nos confinam à mesmice. Não fomos chamados para o deserto. No entanto, nossa tendência é, como Israel, ficar tempo demais na transição (40 anos). Optamos pela segurança do "deserto" ao invés do risco para entrar em outro nível de espiritualidade. Caminhar por um caminho já conhecido é sempre mais fácil. Fazer as coisas sempre do mesmo jeito é bem mais cômodo! 

Toda transição tem como objetivo nos preparar para a fase seguinte. É um tempo de prestar atenção ao que Deus está dizendo:

 

Olhem para a palavra

Josué anunciou: “Quando virem a arca da aliança…, saiam das suas posições e sigam-na… desse modo saberão que caminho seguir, pois vocês nunca passaram por lá” (vs. 3-4). Os israelitas conheciam bem o caminho até então; era sempre a mesma coisa, a mesma paisagem e o mesmo terreno. Mas agora estavam diante de um caminho novo, que nunca antes tinham trilhado! Dentro da arca estavam as tábuas da Lei. Ela representa o próprio Deus e Sua palavra, que nos dá direção - "A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho" (Salmo 119:105). Para experimentarmos as novidades de Deus precisamos sair dos nossos moldes religiosos e paradigmas de pensamentos evangélicos e olhar para a arca, a Palavra imutável!

Ninguém consegue avançar com visão limitada, olhando para baixo, para o chão, por isso o texto diz: "Levantem a arca da aliança e passem à frente do povo” (v 6). Só quem levanta a cabeça ele olha para cima, para a arca, consegue romper os limites da mediocridade. Os padrões de Deus são infinitamente maiores que os nossos - "… Os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que o seus pensamentos" (Isaías 55:9).    

 

Santifiquem-se

“Santifiquem-se, pois amanhã o Senhor fará maravilhas entre vocês” (v.5). Santificar-se é se separar, é se concentrar nas coisas espirituais. Essa é a condição para que Deus faça maravilhas! Muitos querem o sobrenatural de Deus, mas seus corações estão divididos com as coisas deste mundo. Não estão concentradas nas coisas espirituais, não têm prazer em Deus e no Seu Reino. Tiago nos alerta sobre isso: "Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus" (Tiago 4:4).

O fluir do Espírito que habita em nós passa por uma alma desobstruída de entulhos, que são as distrações, os vícios, as obras da carne, as amarguras, as feridas não tratadas. Deus nos chama para o sobrenatural -  "Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios…" (Mateus 10:8). Só os que permitem o fluir do Espírito por meio de uma alma santificada é que podem experimentar o mover sobrenatural para operar maravilhas!

 

Ativem a fé

Os sacerdotes que carregavam a arca deveriam pisar na água para que ela parasse, e não esperar que o rio se abrisse. Assim como eles carregavam a arca, nós carregamos a presença de Deus em nós pelo Seu Espírito. Cabe a nós tomar atitude e não esperar que as coisas aconteçam. O rio se abrirá, os bloqueios e obstáculos serão rompidos, quando nos dispusermos em fé e ousadia. O Senhor nos deu a promessa de que estaria conosco (Mateus 28:20), mas nós precisamos marchar e obedecer. O milagre acontece quando nos movemos em direção à promessa, querendo, de fato, sair da mediocridade. 

Quando os sacerdotes pisaram na água, o rio parou de correr, e todo o povo passou em terra seca. Alguns precisam ir à frente. Tiago diz que a fé sem as obras é morta (Tiago 2:14-18). O que ativa a fé são as obras! Só pisa na água quem não tem medo de morrer afogado! Pisar na água é se lançar à obra, é obedecer e agir. Existem milhões de pessoas esperando que alguém lhes pregue e ensine a palavra. Elas estão sem direção, como ovelhas sem pastor. Jesus nos mandou ir por todo o mundo batizando e ensinando. E por que não vamos? Porque estamos esperando o rio se abrir! Mas aquele que confia no seu Senhor, não tem medo de se arriscar e ser levado pela correnteza, porque para ele o viver é Cristo e o morrer é lucro! 

Baixe a
apresentação