Carta à Igreja de Filadélfia

Filadélfia era uma cidade de grande importância comercial e ficava a quarenta quilômetros de Sardes. Situada em uma vasta colina entre dois vales férteis regados pelo rio Hermus, era a principal rota do correio imperial de Roma para o Oriente. Oferecia uma passagem natural, uma porta aberta, por isso também chamada de “a porta do oriente”.

Jesus Se apresenta como santo e verdadeiro para contrastar com os falsos judeus que lá habitavam e perseguiam igreja; e também como Aquele que tem a chave de Davi para declarar que Ele é a Porta e tem o controle de tudo. Durante Seu ministério Jesus foi reconhecido como filho de Davi (Lucas 18:38), por ser da sua linhagem genealógica. 

 

Quem tem a chave?

Quem tem a chave tem o segredo para abrir e fechar portas. Toda fechadura tem um segredo e toda chave tem a revelação deste segredo. Jesus tem a chave para a entrada no Reino. O evangelho é uma revelação. Jesus disse que Ele mesmo é a porta das ovelhas (João 10:9). Portanto quando Ele fecha ninguém abre, e quando Ele abre ninguém fecha. Depois que Noé entrou na arca com sua família, Deus mesmo fechou a porta (Gênesis 7:16). Os que não entraram foram os orgulhos, que não deram ouvidos à palavra de arrependimento pregada por Noé.

A porta aberta que Jesus colocou diante deles é a porta do Reino (v 8), a oportunidade de salvação concedida a todos os homens (Tito 2:11). Ela está sempre aberta (graça), mas só os humildes entram por ela, porque é estreita, é preciso se diminuir. A figura de uma porta aberta era, também, familiar nos tempos da igreja primitiva, referindo-se à oportunidade de pregar o evangelho (Colossenses 4:3).  

 

Qual é o segredo?

A igreja de Filadélfia tinha pouca força, mas tinha guardara a palavra e não negara o nome de Jesus (v 8). Força, aqui, é “dunamis”, poder espiritual. Parece que a igreja não se destacava pelo carisma (dons de poder), mas sim pelo caráter (fruto do Espírito). Filadélfia significa “amor fraternal”. Quando vivemos o amor verdadeiro, as portas da graça se abrem e ninguém pode fechá-las. A igreja de Corinto, por exemplo, era rica em dons espirituais (carisma) mas deficiente em amor; tornaram-se orgulhosos, por isso se dividiam. Paulo os chamou de carnais, espiritualmente infantis (I Co 3:3-4). E depois disse: “Passo a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente” (I Co 12:31). Na sequência ele fala sobre o amor (fruto do Espírito), que é mais excelente do que os dons. Os dons podem ser imitados pelo Diabo, o amor não. Quando o amor reina, segredos são desvendados, prisões são abertas, bloqueios são desfeitos, limitações são vencidas. 

 

Quem nos defende?

A atividade missionária da igreja de Filadélfia era tão vigorosa que conquistou muitos judeus daquela cidade, causando grande alvoroço espiritual e provocando violenta oposição da população judaica local. Os opositores, no entanto, seriam envergonhados (v 9). À semelhança do que acontecia em Esmirna, Jesus Se referiu a eles como sinagoga de Satanás, pois se consideravam filhos de Deus, mas eram filhos do Diabo (Jo 8:44). 

Os mentirosos e enganadores serão decepcionados. Um dia, cedo ou tarde, Deus, o Senhor da razão, vai julgar todas as coisas e eles reconhecerão os fiéis, que são amados por Deus. Todos os que tentam destruir a obra maldizendo, mentindo, caluniando, difamando, serão desmascarados. Jesus disse que não devemos nos defender (Lucas 6:27-36).  Nossa parte, porém, é somente amar e depender dAquele que tem as chaves das portas em Suas mãos. Deus é quem vai provar quem é quem!

 

Quem são os vencedores?

Existe uma promessa de proteção (v 10). Aquele que guarda a palavra tem a promessa de também ser guardado. Entende-se aqui que o texto refere-se ao tempo da grande tribulação. Somente os que perseverarem até o fim serão guardados da, e não na hora da provação. Trata-se do arrebatamento, quando a Igreja será raptada por Jesus! 

Mas é preciso reter, preservar, o que temos alcançado em Cristo (v 11). Começar é bem mais fácil do que terminar. Coroa é sinal de recompensa e autoridade. Manter uma conquista é o mais importante. Quando não cuidamos de algo que adquirimos, aquilo se deteriora e se acaba. Na vida espiritual precisamos de constante manutenção para preservar a coroa, pois o inimigo vai tentar roubá-la.

O vencedor será colocado como coluna no santuário de Deus (v 12). Coluna sustenta. A verdadeira honra para um filho de Deus é servir no “santuário”. Ele sente que esta é a função mais privilegiada. Para os carnais é peso, para os apaixonados por Jesus é privilégio. Por isso eles se tornarão coluna no santuário eterno! 

O nome de Deus, o nome da cidade de Deus e também o novo nome de Yeshua – Senhor – serão gravados sobre o vencedor. Isso fala de caráter! Os perseverantes e os que honram o Autor da salvação serão honrados com a mais alta honra, receberão a marca do nome do Seu Deus em suas vidas. Amém!

 


Assista o culto completo

https://www.youtube.com/watch?v=ZcJ9ukE_-to

Baixe a
apresentação