Conexões Curam

A Igreja é um corpo, o corpo de Cristo! Deus encarnou em Cristo, e agora Cristo está encarnado em Sua Igreja, na Pessoa do Espírito Santo - “Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo” (I Coríntios 12:12).

O corpo é um sistema. Algumas pessoas gostam de dizer que são “antissistema”. A geração pós-moderna parece que demonizou a palavra “sistema”. Mas tudo o que Deus criou é um sistema - o universo, a natureza, o corpo humano, a sociedade, a família, etc. Existe, porém, o sistema nocivo e o saudável. Por exemplo, o sistema deste mundo, governado por Satanás, é destrutivo; o sistema religioso, que consiste em hierarquia, rituais, liturgias, leis e regras, também o é. Precisamos saber separar o bom do ruim!

 

A essência é o Espírito

O que é um sistema? É um “conjunto de elementos interdependentes de modo a formar um todo organizado”. A palavra grega para “sistema” significa “combinar”, “ajustar”, “formar um conjunto”. A Bíblia diz: “Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função” (Efésios 4:16). Paulo estava falando da Igreja, um corpo, um sistema! Quem move o sistema Igreja é o próprio Deus, por meio do Seu Espírito, que habita em cada componente dele - as pessoas - “Pois em um só corpo todos nós fomos batizados em um único Espírito… ” (I Coríntios 12:13). 

O Espírito Santo é o próprio Deus, portanto, a essência dEle está na Igreja. E qual é a Sua essência? O amor - “... O amor procede de Deus… Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (I João 4:7-8). Quem não ama com o amor de Deus pode até fazer parte de uma organização religiosa, mas não do Corpo. A Bíblia diz: “... Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo...” (Romanos 5:5). 

 

O vínculo é o amor

Por isso, o amor torna-se o elo, a conexão entre os elementos (membros) desse sistema (corpo de Cristo) - “Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito” (Colossenses 3:14). Isso torna a Igreja o ambiente de cura. Num mundo essencialmente egoísta e individualista todos rejeitam e são rejeitados em algum nível, por isso não há quem não tenha sequelas da “orfandade existencial”. Mas filhos de Deus têm o DNA do Pai e amam como Ele, incondicionalmente. O amor não pensa em si mesmo, mas nos outros - “O amor... não procura seus interesses…” (I Coríntios 13:5). Os membros do sistema Corpo de Cristo interagem, são interdependentes. Paulo diz: “A fim de que não haja divisão no corpo, assim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros” (I Coríntios 12:25). O que nos cura não são as muitas pregações, estudos, eventos, retiros, conferências…, mas o igual cuidado uns aos outros!

Fomos criados para “funcionar” em comunidade - “É melhor ter companhia do que andar sozinho,... se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!” (Eclesiastes 4:9-10). Somos a extensão da comunidade divina - Pai, Filho e Espírito. Quem não vive em família, ou tem família disfuncional, sofre desequilíbrio emocional e psicológico. O pecado (isolamento de Deus) tornou o ser humano inclinado ao isolamento (autocentrado, independente, auto suficiente), e isso é insensatez - “Quem se isola busca interesses egoístas e se rebela contra a sensatez” (Provérbios 18:1). Mas viver em comunidade é ser intencional em gerar vínculos de amor e interdependência. Trata-se de dar (altruísmo) e receber (humildade), na consciência de que todos nós somos incompletos. Quando alguém só quer dar, revela orgulho; quando alguém só quer receber, revela egoísmo.

 

O amor cura

Quem vive conectado ao corpo sabe receber ajuda para ser curado (humildade) e se torna também agente de cura (altruísmo). Todos nós temos “pontos cegos” em nossa vida e precisamos que alguém nos ajude a enxergar. Muitas vezes, esse confronto é como um remédio dolorido que toca nossa ferida - “Melhor é a repreensão feita abertamente do que o amor oculto. Quem fere por amor mostra lealdade, mas o inimigo multiplica beijos” (Provérbios 27:5-6). Jesus disse que devemos ajudar a tirar o cisco do olho do nosso irmão tendo cuidado, porém, para primeiro tirar a trave do nosso - “... Tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão” (Mateus 7:5). Quem ama não se ensoberbece, pensando que é melhor do que o irmão, mas age com mansidão e humildade - “Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado” (Gálatas 6:1).

Baixe a
apresentação