Conexões Protegem

Antes de conhecermos o evangelho e recebermos o Espírito Santo não tínhamos o conflito interior que hoje temos. Só tínhamos uma vontade, a nossa. Agora temos duas, a nossa e a de Deus. Paulo diz: “Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam” (Gálatas 5:17). O conflito entre fazer a vontade de Deus e a vontade própria vai durar até deixarmos este corpo terreno. 

Jesus disse que devemos orar assim: “Pai nosso, que estás no céu!... Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu… e não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal,...” (Mateus 6:9-10, 13). O Reino de Deus é a vontade dEle, e ela só é feita quando deliberadamente abrimos mão da nossa - “... Porque o Reino de Deus está dentro de vocês” (Lucas 17:21). De que mal devemos pedir proteção, então? Da tentação de fazer a nossa vontade! 

 

Conexões protegem da carne

Jesus, quando estava no Getsêmani, levou Pedro, Tiago e João para orarem com Ele. Entrou em profunda tristeza e agonia e orava: “... Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres” (Mateus 26:39). Ele estava em guerra interior! No entanto, quando voltou encontrou os discípulos dormindo, e disse: “... Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora?... Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:40-41). Até Jesus viveu esse conflito! Ele foi tentado a fugir da cruz e fazer a vontade da carne. Por isso, até Ele precisou dos irmãos na hora difícil para ajudá-lo em oração - “... Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora?” (Mateus 26:40).  

Quando nos conectamos uns aos outros demonstramos humildade para reconhecer que não conseguimos vencer sozinhos. Ao recebermos a luz do evangelho nossa personalidade não foi anulada e nossa vontade própria não foi arrancada. Paulo diz: “Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo” (Romanos 7:18-19). Conexões nos protegem porque refletem humildade para reconhecer fraquezas e a dependência mútua. Quem aceita ser discipulado dá sinais de que é ensinável, tratável e humilde; então Deus age - “... Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes” (Tiago 4:6). 

 

Conexões protegem do pecado

Os orgulhosos andam sozinhos, são autossuficientes, desprezam a ajuda dos outros. A estes Deus se opõe, por isso ficam sem proteção. Uma ótima referência a esta verdade está em Provérbios 22:14 (Trad A Mensagem) - “A sedução da mulher devassa é uma armadilha perigosa; e, se você tiver dado as costas para o Eterno, com certeza cairá nela”. Dar as costas ao Eterno é orgulho! Achar que está bem, que é forte o suficiente, é um perigo - “... Aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia” (I Co 10:12).  

Os orgulhosos tentam sempre demonstrar que estão bem e não precisam de ajuda; fogem da comunhão e do discipulado, não querem relacionamentos profundos, para esconderem suas fraquezas e pecados; não são abertos e transparentes; usam apenas uma máscara de santidade! Tiago diz: “... Confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados…” (Tiago 5:16). Os vínculos de sinceridade e verdade nos ajudam a vencer as fraquezas e nos tornam mais protegidos do pecado. 

 

Conexões protegem do Diabo

Os humildes admitem suas fraquezas e pedem ajuda, entendem que a interdependência os protege. Pedro diz: “Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido… Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar” (I Pedro 5:6, 8). O Diabo atinge quem não está alerta - aquele que não se humilha debaixo da poderosa mão de Deus!

É por isso que ovelhas andam em rebanho, não sozinhas. A Bíblia diz: “... Somos o seu povo, e rebanho do seu pastoreio” (Salmos 100:3). O lobo fica à espreita e prefere ovelhas distraídas, que vão se distanciando do rebanho. É o pastor Jesus quem nos protege, mas é preciso estar em Seu campo de visão, o rebanho! O rebanho dEle é de ovelhas e não de mulas - “Não seja teimoso como o cavalo ou a mula que precisam de freio e rédea para se manter no caminho” (Salmos 32:9). Teimosos andam sozinhos, por conta própria, por isso presas fáceis; ovelhas obedecem voluntariamente, andam juntas, conectadas, portanto, protegidas pelo Pastor. Conecte-se, não fique de fora, não tente vencer sozinho. Deus está com você por meio de seus irmãos!

Baixe a
apresentação