Mensagem 2

Princípio: SEMEAR E COLHER - Lei natural de causa e consequência, é também chamado de princípio da obediência.

 “O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água” (Jeremias 2:13).

 

O corpo humano possui entre 70 e 75 por cento de água em sua composição. Esta é a sua necessidade mais essencial. Um ser humano pode viver muitos dias sem comida, mas sem água suas funções renais entram em colapso e ele não sobrevive por muito tempo. Fomos criados para funcionar com água!

O natural tem forte semelhança com o espiritual. Nossa maior necessidade é Deus, a água espiritual. Ele Se apresenta como "a fonte de água viva", que gera e mantém a vida, tanto espiritual quanto física. Deus nos formou e determinou que essa estrutura de espírito, alma e corpo funcionasse pelo suprimento que só Ele pode oferecer.

Quando se compra um equipamento que precisa de manutenção, é absolutamente natural que a garantia esteja condicionada ao uso de produtos e assistência técnica supridos exclusivamente pelo fabricante. Sabe-se que imitações podem comprometer o bom funcionamento e a vida útil do equipamento. Assim é no espiritual, só Deus tem o “produto” certo para nossa nutrição e manutenção: a água viva! 

 

Cometemos dois crimes:

1. Abandono de Deus. O primeiro crime, ou pecado, que cometemos foi: “... Eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva”. Podemos considerar que este foi o pecado da raça humana. Existe uma sede em nosso interior, que é também chamada de sede existencial. Adão e Eva tinham um relacionamento íntimo e totalmente desimpedido com Deus, por isso bebiam dessa água, a água viva. Um dia, porém, resolveram se desligar da Fonte pensando que poderiam viver sem ela. Eles se afastaram da presença de Deus para tentar viver uma vida independente. A recusa em beber a água da vida é o que se pode chamar Pecado. A soberba, ou auto-suficiência, que entrou na raça humana e está no coração das pessoas, é o verdadeiro significado de Pecado. A rejeição a Deus é uma forma de dizer: “eu não dependo da Fonte para sobreviver”. Portanto, abandonar a fonte nada tem a ver com descrença em Deus, e sim em não beber da água viva. 

 

2. Cavar as próprias cisternas. Mas, o segundo crime foi: “... E cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água”. Como o ser humano não pode ficar sem água espiritual, ao rejeitar a verdadeira Fonte, se viu forçado a buscar fontes alternativas. Mas cisternas não são fontes, apenas depósitos, que retêm temporariamente águas da chuva ou de outra fonte. Existe no mundo uma busca desenfreada por água. É como se o homem tentasse criar sua própria água, o que é impossível, pois só existe uma Fonte. Então ele se volta para as seitas, religiões, filosofias de vida, drogas, materialismo, dinheiro, imoralidade, enfim, toda sorte de artifícios que possam mantê-lo saciado, pelo menos por alguns momentos. Esta água não é autêntica, e as cisternas rachadas, que não retêm as águas, refletem o seu efeito passageiro. Ela não é suficiente para matar a sede. Essa corrida para as fontes alternativas revelam a rebelião, a recusa em aceitar a autoridade de Deus como Criador e sabedor das nossas necessidades.

 

Abandone a cisterna, não a fonte!

Um crime levou ao outro! O pecado principal foi o abandono da Fonte, e, como consequência, veio o segundo: cavar as próprias cisternas. O segundo foi inevitável, pois precisamos de água. Isso nos ensina que as atitudes pecaminosas são sempre consequências do pecado principal, ou original: soberba, rejeição a Deus, rebeldia, recusa em aceitá-Lo como Fonte. Todos os pecados que cometemos são reflexos da nossa busca pessoal por água em cisternas próprias, que não retêm as águas. E é quando sofremos as consequências dele que sentimos sede novamente, por isso Jesus disse: "Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva" (João 7:37-38). Quem bebe da Fonte torna-se também uma fonte!

Jesus deixou isso claro ao conversar com uma mulher samaritana que tinha ido buscar água num poço. Ela estava em seu sexto relacionamento com homens, o que refletia uma profunda carência emocional. Seus relacionamentos eram cisternas rachadas que ela cavava na esperança de ser suprida e feliz. Muitas pessoas colocam suas expectativas em pessoas achando que serão supridas, e quando tais relacionamentos se desmoronam, sentem-se rejeitadas e deprimidas. Mas Jesus disse: “... Aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede,...” (João 4:13, 14).

Paramos de pecar, não porque fugimos dos pecados, mas, porque corremos para a Fonte. Ao estarmos supridos nela, não temos mais necessidade de pecar. Jesus veio nos reconciliar com Deus, a Fonte de água viva. Chega de paliativos, artifícios humanos, fontes alternativas...! Decida abandonar a cisterna rachada da auto-suficiência e não a Fonte de água viva! 
 


Assista o culto completo

https://www.youtube.com/watch?v=erYPKlMQN2Q

Baixe a
apresentação