Mergulhe em águas mais fundas

Ezequiel 47:1-12

 

O livro do profeta Ezequiel foi escrito nos tempos em que Israel estava no cativeiro babilônico, por volta do ano 593 AC, pois tinha se afastado de Deus. Ezequiel profetiza sobre a destruição de Jerusalém e o juízo sobre várias nações; mas, a partir do capítulo 40, ele passa a falar sobre o retorno do cativeiro e um avivamento espiritual entre o povo. 

Ezequiel descreve uma visão do templo de Jerusalém como expressão da reconstrução espiritual que Deus faria, e no capítulo 47 fica claro que esse templo na Terra era uma figura do templo espiritual. Sabemos que o templo de Jerusalém não existe mais, e que hoje, em Cristo Jesus, nós somos o templo, individualmente e coletivamente. Há promessas de um grande avivamento antes da volta de Cristo! 

 

1. Beba. Na visão de Ezequiel, um homem (um ser angelical) o levou à entrada do templo e ele viu água saindo de debaixo da soleira do templo (v 1). A água fluía (v 2). Água, na Bíblia, simboliza o Espírito Santo. Jesus disse: "… Quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Ao contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna" (João 4:14). Essa fonte brota do próprio Deus e jorra! Alguns cristãos ainda andam de modo a pensar que o Espírito Santo é uma água parada. A mulher samaritana, a quem Jesus dirigiu essas palavras, tinha uma sede existencial imensa, mas quando ela recebeu a água de Jesus, a fonte imediatamente começou a fluir - "Então, deixando o seu cântaro, a mulher voltou à cidade e disse: ‘Venham ver um homem que me disse tudo o que tenho feito. Será que ele não é o Cristo?’" (João 4:28-29). Este é o sinal de que alguém está fluindo no Espírito! A proposta do evangelho não é que vivamos uma qualidade de vida melhor ou façamos parte de uma entidade religiosa, mas é um chamado para uma missão. 

 

2. Entre. Na visão, Ezequiel foi sendo levado gradativamente para dentro do rio até chegar a uma profundidade na qual os pés não podiam tocar o chão. Jesus veio para nos batizar com o Espírito Santo (Mateus 3:11). Batismo é mergulho, é ser completamente submerso, nada além disso. Portanto, o fluir da água do Espírito em nós tem total relação com o nível no qual mergulhamos. Muitos querem tudo de Deus, mas não querem entregar tudo a Deus. Não querem mergulhar no rio dEle. Entram nesse rio, mas só superficialmente, de modo que ainda têm controle sobre seus passos. O anjo levou Ezequiel até uma distância onde a água chegava só aos tornozelos (fala dos que entram e saem da água a hora que querem); depois, até os joelhos (fala dos que entram no rio do Espírito, mas algumas áreas da vida ainda estão sob o seu controle); depois até a cintura (são os que entram no rio, seus movimentos já são influenciados pelo Espírito, mas não controlados). Finalmente Ezequiel é levado para uma profundidade maior. A água se tornou  "... Tão profunda que só se podia atravessar a nado; era um rio que não se podia atravessar andando" (v 5). Agora os pés dele não tinham mais controle! 

 

3. Mergulhe. Deus quer nos levar a esse nível de relacionamento com Seu Espírito. Ele não quer apenas molhar nossa cabeça e nossos pés, ou matar a nossa sede, mas quer nos batizar (mergulhar) no Espírito. Isto é, deixar que Ele tome o controle total da nossa vida, de modo que nossos pés não alcancem o chão. Paulo diz: "Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus" (Romanos 8:14). Muitos crentes vivem na superficialidade. Estão no ambiente espiritual, mas não mergulhados no Espírito! Para chegar ao nível mais profundo é preciso coragem, confiar no "anjo" que está nos conduzindo (Jesus). Tem que chegar ao ponto de perder o senso de autopreservação, abandonar tudo o que pode trazer segurança nesta terra (tirar os pés do chão). O único impedimento para esse mergulho no Espírito é a oscilação entre a terra (mundo) e a água (Espírito). Isso chama-se sincretismo, é quando queremos o Espírito, mas ao mesmo tempo a terra (os pés no chão, o controle da vida). O profeta Elias chamou a atenção do povo de Israel: "Até quando vocês vão oscilar para um lado e para o outro?" (I Rs 18:21).

 

4. Jorre. Ezequiel viu que, quando as águas desaguam no Mar Morto, este se torna saudável e muitos peixes surgem (vs 9-10). Há muitas árvores frutíferas de cada lado do rio, cujas folhas não murcham e os frutos não caem. Elas produzem todos os meses, seus frutos servem de comida e suas folhas de remédio (v 12).  Aqui está o propósito dessas águas. É um rio de vida neste mundo morto! Peixes e frutos são pessoas. Frutificar é o propósito da existência de uma árvore!

Só os que mergulham é que podem jorrar! Os entulhos da nossa alma precisam ser removidos para que a água possa fluir. Mergulhar é uma iniciativa de fé. Intimidade com Deus é resultado da comunhão com o Espírito. Invista diariamente no TSD (Tempo a Sós com Deus). Saia da superficialidade e busque a essência. Aprenda a parar tudo num momento do dia para crescer no relacionamento com Deus, a fim de aprender a tirar os pés do chão e ser totalmente guiado pelo Espírito. Quanto mais tempo em Sua presença, mais entendimento das coisas espirituais. A água é sempre abundante, mas nós é que determinamos se ela vai ser abundante em nós ou não!

 


Assista o culto completo

https://www.youtube.com/watch?v=7z4w-1qpwqw

Baixe a
apresentação