O Evangelho é Poder de Deus

(Romanos 1:1-7, 16-22, 28-32)

A igreja tem enfrentado dias difíceis num ambiente cada vez mais hostil ao evangelho. Os cristãos sofrem ataques de vários tipos, pois o objetivo é que as verdades contidas nas escrituras sejam destruídas (Isaías 5:20).

Segundo uma pesquisa do IBGE em 2020, 31% dos brasileiros são evangélicos; existem mais de 100 religiões diferentes no país, e no mundo existem cerca de 40 a 60.000 religiões (pesquisa 2005).

O simples fato de alguém trocar de religião, em tese, nada significa. Uma pessoa pode estar há anos em meio à CULTURA EVANGÉLICA e nada ter a ver com o REINO. O verdadeiro cristão é aquele que vive o VERDADEIRO EVANGELHO.

  1. O evangelho produz proclamação: O cristão genuíno é, na sua essência, um anunciador deste evangelho; fala da missão de Jesus e ainda busca viver como Seu imitador, um pequeno Cristo.

  2. O evangelho produz transformação: A pessoa que está vivendo esse evangelho, inserida no Reino, é transformada, como no exemplo de Nínive (Livro de Jonas) .

A palavra EVANGELHO significa “boas novas do Reino de Deus”, sendo que Jesus é o fundador deste Reino. A palavra PODER tem em si um significado objetivo. Poder que reside numa coisa pela virtude de sua natureza, poder para realizar milagres, poder moral, poder de um exército... Poderíamos, então, traduzir desta forma: AS BOAS NOVAS DO REINO DE DEUS, POSSUEM PODER QUE TRANSFORMA  E REALIZA MILAGRES.

 

Justiça pela fé em Jesus Cristo (v. 1-7 ,16,17)

Quando Paulo menciona que se tornou servo, ele está falando de um servo redimido, que agora tem outro Dono; que não é mais Satanás, mas sim Jesus o Senhor, que pagou o preço de sangue pela sua vida. Este é o evangelho que salva, cura, liberta  e consola (Isaías 61:1-3).

Jesus Cristo é o evangelho personificado. Ele é a perfeita união com Deus e o Seu Espírito. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (João 1:12).

“Mas para aqueles que Deus tem chamado, tanto judeus como não-judeus, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus” (1 Coríntios 1:24). “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1:14).

 

A transformação não ocorre quando o pecado governa (v. 18-22, 28-32)

A prática do pecado, ativo ou passivo, será cobrada individualmente. Um dia, todos estarão diante de Deus para responder por suas obras. Os cristãos têm perdido o temor de Deus, acreditando que ter o nome no rol de membros de alguma instituição religiosa é a garantia da salvação eterna. Isso é puro engano!

“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. Mas também tens em Sardes algumas poucas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos” (Apocalipse 3:3-5).

“Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares. Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Salmos 51:1-3).

 

Vamos avaliar nossa condição hoje, como Davi:

Pecado: errar o alvo, tropeço no caminhar, quando queremos fazer certo, mas erramos.

Transgressão: exceder, ultrapassar normas morais que demarcam limites, mirar propositalmente fora do alvo. O transgressor opta por errar. O Crime de transgressão é mais nocivo que o pecado.

Iniquidade (culpa):  pecados repetidos por gerações, pecados que não foram confessados e redimidos. É quebrar o alvo e atirar para todos os lados. A pessoa está decidida a não respeitar mais os princípios. Está viciada no pecado, a ponto de não ver mais isso como erro; torna-se parte do caráter, dos hábitos, podendo se repetir na geração futura.

 

O arrependimento é chave

Esse evangelho maravilhoso é uma Pessoa, não uma religião, Ele é Jesus de Nazaré. ”Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte” (2 Coríntios 7:10).

 

Baixe a
apresentação