Orar, para quê?

Orar, para quê?

 

Durante o mês de fevereiro, abordamos a importância do culto, da igreja, da bíblia e agora finalizando, a importância da oração. Culto, igreja, bíblia e oração são fundamentais na vida de um cristão. Todos estes temas são igualmente importantes e desprezar um deles, pode acarretar sérios problemas em sua vida. Para entendermos a importância da oração e como culto, igreja e bíblia estão interligados, vamos ver como a primeira igreja vivia.

 

“Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas. Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. Todos os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo” (Atos 2:41-46).

 

O texto de Atos, mostra a colheita e a atitude dos novos convertidos logo após a pregação de Pedro. Três mil pessoas se convertem e não há nenhuma palavra na bíblia dizendo que Pedro havia orientado a permanecerem juntos e serem fiéis, comparecendo a todas as programações da igreja. Também não há menção de que a multidão foi para casa “cada um viver sua vida”. Pelo contrário, com muita naturalidade, movidos pelo Espírito Santo, eles eram atraídos uns pelos outros. Não havia quem quisesse ficar sozinho.

Davi no Salmo 25:14 diz: “O Senhor confia os seus segredos aos que o temem, e os leva a conhecer a sua aliança”. Ele expressa que conhecer os segredos de Deus está ligado ao temor. A pergunta que devemos fazer é: Como vem o temor?

Voltando à primeira igreja, percebemos que eles foram atraídos para estar juntos. E não só isso, eles estavam juntos com o propósito de aprender dos apóstolos, fazer refeições juntos e orar juntos. Desde o início, a igreja sempre esteve junta, unida, bem diferente dos dias atuais.

Vivemos dias de profundo isolamento. As redes sociais são as maiores vilãs, pois aproxima os distantes e distancia os próximos. Hoje com a facilidade da tecnologia, o crente vê culto pela internet, ceia pela internet, faz tudo à distância. A facilidade da tecnologia, acabou influenciado negativamente a igreja atual, que acha que pode fazer tudo sozinha, pois a salvação é individual. Nesta linha de pensamento, é como se todos estivem lutando para chegar à salvação, cada um por si e Deus por todos. Isso é totalmente antibíblico. Embora a salvação seja individual, todo verdadeiro convertido deve buscar a comunhão.

 

Oração coletiva influencia a oração individual

 

Considerando que todos os aspectos falam da vida comunitária da primeira igreja, podemos imaginar “orações” acima de tudo, as comunhões de oração. Eles estavam constantemente juntos e provavelmente compartilhavam pedidos de orações. Quando possuímos comunhão de oração, ficamos sensíveis a Deus e ao nosso irmão.

Infelizmente hoje, as reuniões mais fracas da imensa maioria das igrejas brasileiras são as reuniões de oração. Muitos equivocadamente, acreditam que o crente precisa primeiro estar no secreto com Deus, ter intimidade com Deus, etc. Mas pela Palavra não é assim. Antes de tudo eles permaneciam juntos, inclusive na oração. Por isso, é fundamental que o cristão tenha comunhão de oração, para depois ter seu tempo a sós com Deus.

No texto observe que o todo influenciava o individual e a consequência desta atitude foi: “...em cada alma havia temor...” (Atos 2:43). O temor não veio no secreto, mas no corpo. Quanto mais junta a igreja estava, mas temor ela possuía, e por consequência, eles cresciam individualmente no Senhor. Hoje o que vemos é o contrário. Por isso, o novo convertido que chega no ambiente de culto, é estimulado a ler a bíblia e orar sozinho. Na igreja primitiva não era assim, quem se convertia, deveria andar em comunhão. E esta comunhão era na Palavra, na refeição e na oração. Isso trazia o temor de Deus.

 

O que o temor de Deus faz?

 

“Todos os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade” (Atos 2:44-45). Isso era absolutamente sério. Eles vendiam suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. O temor do Senhor, fez a primeira igreja não olhar as três mil pessoas que se converteram, como números apenas, ou se preocupar somente com as questões espirituais.

Na igreja onde há o temor de Deus, os novos convertidos são pessoas e não números, com problemas emocionais e financeiros e tudo isso só é identificado quando a igreja persevera na oração e juntos.

 

Conclusão

 

Culto, igreja, ler a bíblia e oração são fundamentais para ser viver o pleno de Deus. Mas lembre-se que somente conseguiremos viver o pleno juntos. Por isso, valorize o culto, valorize sua igreja, valorize a leitura da bíblia toda em um ano e valorize as reuniões de oração. Quando a igreja fizer isso, o temor de Deus virá sobre nós e muitas coisas lindas acontecerão no ambiente onde esta igreja estiver reunida.

Baixe a
apresentação