Não Seja Enganado

Como temos estudado durante as últimas semanas, João mais uma vez enfatiza a essência da mensagem: combater os falsos profetas. Ele começa esta parte da carta pedindo para que os cristãos não deem crédito a qualquer “espírito”. Por isso, informa aos seus leitores que existem outros tipos de espíritos, além do Espírito Santo. Existem espíritos demoníacos que geram falsos profetas e falsos mestres para propagar a falsa doutrina. Os filhos de Deus devem ter um ceticismo saudável com relação a qualquer ensino, ao contrário de alguns nas congregações de João, que tinham a mente muito “aberta”, aceitando qualquer pessoa que afirmasse ter um novo ensino acerca da fé. Até porque não existe nenhuma revelação nova debaixo dos céus, além da Escritura sagrada. Os Cristãos devem ser como os de Bereia, que estudavam as Escrituras para distinguir a verdade do erro. “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo” (Atos 17:11).

João afirma que devemos examinar os espíritos. A palavra “examinar” é também “provar”, que em grego, é um termo usado na metalurgia para falar da análise de metais, no sentido de determinar sua pureza e valor. E por que devemos examinar os espíritos? Porque o espírito do erro tenta se parecer com o Espírito da verdade. Paulo em sua segunda carta aos Coríntios, afirma: “Pois tais homens são falsos apóstolos, obreiros enganosos, fingindo-se apóstolos de Cristo. Isto não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. Portanto, não é surpresa que os seus servos finjam que são servos da justiça. O fim deles será o que as suas ações merecem” (2 Coríntios 11:13-15).

Não há dúvidas que temos vivido uma infestação de falsos profetas e mestres. João afirma que muitos falsos mestres iriam sair pelo mundo (vs1); e quando a Bíblia fala muitos, são muitos. Não podemos menosprezar o que a Bíblia fala. Por isso, a importância de ficar “ligado” para não ser enganado.

 

Como distinguir a o Espírito da Verdade do espírito do erro?  

“Vocês podem reconhecer o Espírito de Deus deste modo: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne procede de Deus; mas todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus. Esse é o espírito do anticristo, acerca do qual vocês ouviram que está vindo, e agora já está no mundo” (1 João 4:2-3).

O espírito do erro é tão sagaz, que usa a própria palavra de Deus para tentar confundir os filhos de Deus. Foi assim com Jesus. Então o diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse: "Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui para baixo. Pois está escrito: ‘Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra’". Jesus lhe respondeu: "Também está escrito: ‘Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus’" (Mateus 4:5-7).

Satanás citou Salmos 91:11-12, porém distorcendo o seu sentido. O texto fala de confiar em Deus e Satanás usou para tentar a Deus. É exatamente assim que acontece em nossos dias, os falsos profetas, influenciados pelos espíritos do erro, distorcem a palavra para enganar as pessoas.

João oferece um modo de avaliar se o propagador da mensagem é um espírito demoníaco ou o Espírito Santo. “Todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne procede de Deus”(vs 2). Essa é a prova de um verdadeiro mestre: ele reconhece e proclama que Jesus é o Deus encarnado que se fez homem. Tanto a humanidade como a divindade plenas de Jesus devem ser igualmente defendidas pelo mestre que quiser ser considerado genuinamente do Espírito. Todo verdadeiro mestre ou profeta será Cristocêntrico em suas pregações ou ensinos.

 

“Filhinhos, vocês são de Deus e os venceram, porque aquele que está em vocês é maior do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4).

Os cristãos precisam estar cientes e alertas quanto aos falsos ensinos, mas não temer, uma vez que aqueles que tiveram a experiência do novo nascimento e são habitados pelo Espírito Santo, dispõem de um mecanismo de proteção contra falso ensino. Antes quando não éramos filhos de Deus, éramos filhos da mentira. Por isso, a mentira fazia parte de nossa vida. Agora em Cristo, somos filhos de Deus e temos em nós um mecanismo contra a mentira. Todo filho de Deus tem o Espírito Santo que conduz à verdade. “Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês” (João 16:13,14). João escreve a mesma coisa em sua carta sobre o Espírito Santo. “Quanto a vocês, a unção que receberam dele permanece em vocês, e não precisam que alguém os ensine; mas, como a unção dele recebida, que é verdadeira e não falsa, os ensina acerca de todas as coisas, permaneçam nele como ele os ensinou” (1 João 2:27).

Baixe a
apresentação