O Compromisso do Amor de Cristo

Jesus disse: “Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” (João 13:35). Para o mundo, a marca dos que são discípulos, seguidores de Jesus, é o amor, nada mais. Não é o templo onde eles se reúnem, nem os eventos que fazem, nem os projetos sociais que implementam, nem os ministérios, nem os cultos e programações, nem mesmo os milagres, sinais e maravilhas, mas tão somente o amor! Jesus tinha um magnetismo que atraía as pessoas. Esse mesmo magnetismo está na Igreja, o grupo dos seguidores dEle!

 

Nossa identidade  

Nossa família espiritual tem uma identidade: somos uma comunidade de relacionamento. Em Cristo, como filhos de Deus, já somos uma comunidade de amor. A Bíblia diz: “E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu” (Romanos 5:5). Não precisamos mais pedir amor, ele já está em nós, e foi derramado! Só precisamos liberá-lo. O amor é o que o amor faz! 

A nossa identidade é o que somos independente do que estamos. Portanto, estamos crescendo, desenvolvendo, construindo relacionamentos e melhorando a cada dia para chegarmos naquilo que somos em Cristo - “... Até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo” (Efésios 4:13). Como família, temos muitas imperfeições, falhamos nas expressões de amor, temos enormes limitações. Admitimos nossos defeitos, mas não nos conformamos com eles, porque não somos o que estamos! Também não somos o que a nossa cultura dita, ou o que a sociedade diz sobre nós. Não somos um povo frio, fechado, sisudo..., porque a nossa cultura é a do Reino! O evangelho transforma, suplanta, supera, temperamentos, cultura, costumes, hábitos regionais... Somos a família de Jesus, a família do amor, que se relaciona uns com os outros porque tem o DNA do Pai.  

 

O senso de pertencimento

Para que uma família funcione, cada membro precisa adquirir o que chamamos de “senso de pertencimento”. Eu preciso assumir a consciência de que, se Deus aqui me colocou, eu agora pertenço a esta família. Não sou apenas um frequentador, ou um forasteiro, que permanece somente enquanto lhe for conveniente. Igreja não é rodoviária, onde pessoas entram e saem sem criar vínculos duradouros. Quem pertence não fica apenas assistindo e avaliando se de fato esta é uma comunidade de relacionamento, mas é parte da identidade, por isso faz acontecer, é intencional em viver o que já somos no Reino espiritual. Tal pessoa não espera que os outros façam, mas ela mesma faz, porque tem o DNA da comunhão, do relacionamento em amor, colocando em prática a regra áurea: “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam…” (Mateus 7:12). 

Quem tem consciência de pertencimento, inclui-se quando faz uma crítica. Ela diz “nós precisamos melhorar nisso e naquilo"; "o que nós podemos fazer”? Então ela é a primeira pessoa a fazer, sem julgar os outros, porque sabe que falar mal dos outros é falar mal de si mesma. Quando cada parte realiza a sua função, coletivamente nos tornamos uma comunidade saudável, que cresce e, como consequência, se multiplica - “Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função” (Efésios 4:16).

 

Fazedores e não expectadores

Um seguidor de Jesus não é um expectador, ele faz; não é parte do problema, mas uma parte da solução do problema. Um discípulo de Jesus é intencional em provocar relacionamentos, porque esta é a essência do evangelho. Ele agirá em comunidade de acordo com sua identidade - a marca do amor. Nunca seremos perfeitos enquanto vivermos neste corpo mortal, mas caminhamos para isso: “Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus. Irmãos não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:12-14).

Estamos melhorando a cada dia. Não daremos ouvidos às declarações negativas e pejorativas. Somos Igreja, somos Família, somos Comunidade de relacionamento, somos o povo que se importa e ama. Esta é a nossa marca, e por ela somos identificados e reconhecidos como seguidores de Jesus. Nossa identidade é o amor. Isso é tudo!

 

UMA PALAVRA À IGREJA

(Colossenses 2:-7; 11-15; 3:1-17)

 

“Meu conselho a vocês é simples e direto: prossigam com o que receberam, e vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor. Agora, vivam nele. Vocês estão profundamente enraizados, bem fundamentados nele e conhecem o caminho da fé.  Agora, façam o que aprenderam. A aula acabou, deixem os livros de lado e comecem a vivê-lo! E que a vida de vocês transborde em ação de graças... 

Entrar nessa plenitude não é algo que se possa entender ou conseguir. Não é algo que se obtém com a circuncisão ou com a observância de uma longa lista de regras. Não, vocês já estão dentro - sim, dentro - não por meio de algum ritual secreto de iniciação, mas pelo que Cristo já fez por vocês, destruindo o poder do pecado. Se estão à procura de um ritual de iniciação, vocês participaram de um quando foram batizados. Estar sob as águas foi o sepultamento da velha vida de vocês; ser levantado das águas foi a ressurreição; Deus ressuscitou vocês, como fez com Cristo! Pensem nisso! Todos os pecados perdoados, a lista toda apagada, a velha ordem de prisão cancelada e pregada na cruz de Cristo. Ali ele desapossou todos os tiranos espirituais do Universo de sua autoridade falsa e os obrigou a marchar humilhados pelas ruas... 

Então, se vocês estão falando sério sobre viver a nova vida da ressurreição com Cristo, ajam de acordo com ela. Busquem as coisas norteadas por Cristo. Não fiquem se arrastando por aí, cabisbaixos, absorvidos com o que está à frente de vocês. Olhem para cima e observem o que acontece ao redor de Cristo. É por aí que devem seguir. Vejam as coisas da perspectiva dele. 

A velha vida de vocês está morta. A nova vida é a vida real - ainda que invisível aos espectadores - com Cristo em Deus. Ele é a vida de vocês. Quando Cristo, a verdadeira vida, aparecer de novo na terra, o ser verdadeiro e glorioso de vocês vai se manifestar também. Enquanto isso, estejam contentes com a obscuridade, como Cristo. 

Isso significa eliminar tudo que esteja ligado ao antigo caminho de morte: promiscuidade sexual, impureza, imoralidade, fazer o que quiser quando bem entender, apegando-se a tudo que atraia sua imaginação. Uma vida assim é moldada por coisas materiais e sentimentos maus. É por coisas assim que Deus está prestes a explodir em ira. Não faz muito tempo, vocês viviam fazendo tudo isso, sem conhecer nada melhor. Mas agora que sabem mais abandonem tudo de uma vez: mau comportamento, irritabilidade, avareza, grosseria, conversas indecentes. 

Não mintam uns aos outros. Vocês faziam isso na velha vida. Vocês já tiraram a roupa suja e rasgada e a jogaram no fogo. Agora, estão vestidos com roupa nova. Cada item do seu novo modo de vida foi feito sob medida pelo Criador, e cada um traz sua marca. Os velhos costumes já eram. Palavras como judeu e não judeu, religioso e sem religião, ter passado por ritual ou não, bárbaro e estrangeiro, escravo e livre não significam nada. Agora, tudo é definido por Cristo, tudo está incluído em Cristo.

 Portanto, já que foram escolhidos por Deus para a nova vida de amor, vistam a roupa que Deus preparou para vocês: compaixão, bondade, humildade, autocontrole, disciplina. Sejam moderados, satisfeitos com segundo lugar, rápidos em perdoar uma ofensa. Perdoem tão rápida e completamente quanto o Senhor os perdoou. E, a despeito do que mais vestirem, revistam-se de amor. O amor é a roupa básica de vocês, para todas as ocasiões. Estejam sempre vestidos com ela.

 Que a paz de Cristo guarde vocês em sintonia uns com os outros. Nada de sair por aí, fazendo o que quer. Cultivem a gratidão. Que a palavra de Cristo -  a Mensagem - esteja no controle de tudo. Dêem a ela todo o espaço da sua vida. Orientem uns aos outros, usando o bom senso. E cantem de coração para Deus! Que tudo na vida de vocês - palavras, ações e tudo o mais - seja feito no nome do Senhor Jesus, com ação de graças a Deus, o Pai, a cada passo do caminho" (Colossenses 2:-7; 11-15; 3:1-17)

Baixe a
apresentação