Onde está o seu coração?

Pedro, antes do Pentecoste, era medroso. Embora demonstrasse muita coragem, pois declarou estar disposto a morrer com Jesus, na hora “H” fugiu, e ainda por cima O negou. Assim muitas pessoas se comportam. São emotivas, superficiais, instáveis e não cumprem as promessas que fazem. Mas, depois de receber a unção, Pedro levanta-se e, corajosamente, em alta voz, começa a pregar seu primeiro sermão - "… Então Pedro levantou-se com os Onze e, em alta voz, dirigiu-se à multidão…" (Atos 2:14). Ele estava diante do risco iminente de ser preso e morto, assim como o foi o Mestre, mas naquele momento não mais se importou. Estava cheio do Espírito! A característica de uma pessoa cheia do Espírito é sua coragem e disposição em fazer qualquer coisa por Jesus, não se vender, não negociar o evangelho, não omitir a verdade..., inclusive morrer!

 

Mantenha a chama acesa

Jesus disse aos Seus discípulos: “Eu lhes dei autoridade para pisarem sobre cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; nada lhes fará dano” (Lucas 10:19). Essa consciência de autoridade é que nos faz andar em ousadia e coragem. O inimigo agora está debaixo de nossos pés, e não pode nos causar dano algum.

O apóstolo Paulo diz a Timóteo: “... Mantenha viva a chama do dom de Deus que está em você... Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio” (II Timóteo 1:6-7). A chama do dom do Espírito Santo já está em nós e foi dada por Jesus, mas manter viva essa chama é nossa responsabilidade. Quando a chama enfraquece vem o medo, a covardia. Portanto é preciso manter aceso esse fogo, e o combustível dele é a lenha, a cruz...! Sem cruz não tem fogo e sem fogo não tem poder, nem amor, muito menos equilíbrio entre esses dois! Quanto mais renúncia, mais o poder de Deus se manifesta. Cada vez que nos humilhamos, que resistimos a uma tentação, que cedemos em favor do outro ou abrimos mão de algum direito, mais unção do Espírito recebemos.

 

Receba o batismo de fogo

João Batista disse que veio batizar com água, mas viria aquele que batizaria com o Espírito Santo e com fogo (Mateus 3:11-12). Obviamente, estava se referindo a Jesus. João batizava como sinal de arrependimento; Jesus batiza como sinal de pureza, santidade e autenticidade. Estar batizado (mergulhado) no Espírito é estar cheio dEle. Porém, tanto a água como o fogo são símbolos do Espírito Santo. O fogo purifica. João Batista disse que Jesus limpará completamente a Sua eira, recolherá o trigo no celeiro, mas queimará a palha em fogo inextinguível. 

O batismo de fogo cumpre o fim de separar a palha do trigo. Fogo, aqui, não é poder para realizar milagres e operar sinais e maravilhas, mas é o meio dado por Deus para distinguir, trazer à tona, o que é verdadeiro e extinguir o que é falso. Fogo fala das aflições e provações, que nos forjam para saber quem é que vai ficar no celeiro. Jesus vai limpar Sua eira completamente. A obra do Espírito Santo deixa claro quem é quem, quem é parte do celeiro e quem é palha. Só quem anda no Espírito é que pode suportar as pressões, aflições e tentações, e andar em santidade. O fogo do Espírito prova o nosso caráter a fim de nos tornar mais parecidos com Ele.

 

Libere o fogo

A pregação de Pedro não foi superficial. E ele não teve medo de dizer que os judeus mataram Jesus – “... Vocês, com a ajuda de homens perversos, o mataram, pregando-o na cruz” (Atos 2:23); “... Esse Jesus, a quem vocês crucificaram...” (Atos 2:36). Essa é a verdade, fomos nós quem crucificamos Jesus. Foi por causa do nosso pecado que Ele precisou se entregar. Pedro falou a verdade, foi autêntico; constrangeu-os ao arrependimento. Houve uma aflição generalizada. Enquanto ainda pregava, perguntaram o que fazer.

Ao pregarmos na unção do Espírito não precisamos implorar às pessoas para que aceitem o evangelho. Naquela ocasião os ouvintes imploraram para que Pedro dissesse o que deveriam fazer. E ele falou claramente: Arrependimento, batismo, perdão dos pecados e, então, sim, o Dom do Espírito Santo (Atos 2:38). O texto diz que “com muitas outras palavras ele os advertia e insistia com eles: Salvem-se desta geração corrompida” (Atos 2:40). Arrependimento é o único requisito para a salvação. O Espírito Santo ocupa lugares vazios de egoísmo e orgulho. O Dom do Espírito é para os que morrem para si mesmos e decidem abandonar o pecado para se entregarem irrestritamente ao Senhor. 

Pedro estava dizendo que aquela manifestação é para todos. Ninguém está de fora dos planos de Deus - “Esta promessa é para vocês e para seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar” (Atos 2:39). Portanto, você faz parte desse projeto. Deixe-se queimar, consumir por Ele e para Ele, a fim de que sua vida tenha propósito e você se torne um agente de transformação!

Baixe a
apresentação